Quando investir?

Resumo ::

Todo ano surgem novidades em todos os segmentos, campos de atuação se abrem, há novos métodos de fabricação e comunicação e isso tudo requer investimento. Isto pode ser desde o seu cartão de visita, seu site, até um serviço de VoIP e telemarketing… No geral, isso são serviços de outras empresas que podem ser agregados ao seu negócio ou vida pessoal a um custo, que se nomeia diretamente como investimento. A questão é, QUANDO investir?

VoIP é o foco TI de 2007 ::

Lendo a respeito de BI (Business Inteligente) sobre VoIP (Voz sobre IP) em uma mídia especializada em TI (Tecnologia da Informação), notei os grandes avanços e marcos de 2006 e projeções para 2007.

A quem não sabe, eles registraram um ano positivo, depois da MP do BEM, que forteleceu o setor e deveria estar sendo expandida para todos os demais pelo festejado e nem tão efetivo PAC. A questão é que registraram (?) crescimento de 15 a 25% em 2006, denotando que TI hoje é um setor realmente quente de uma economia que cresce esparros "3%" a.a. (ao ano)… seria dizer que TI cresceu, o que a média do país levou em um ANO, no pior das hipóteses, em apenas UM MÊS E MEIO.

Fatos de uns para Fatos Cotidianos de outros, venho ouvindo desde novembro de 2006 que VoIP é o investimento de 2007 (do ponto de vista de quem é agregador e VENDE isso), de cara pensei "mas COMO? Se precisa de banda larga e muitas pessoas sequer tem computador direito, quanto mais banda larga que funcione BEM, até por que infra-estrutura no Brasil parece ser artigo de luxo"…

Mas então notei que esses analistas estão certos mesmo, VoIP é o investimento comercial para 2007, a partir do momento que coisas como "conversão pulso/minuto" dobram o preço da telefonia comum, o fim do "pulso único" torna o acesso a Internet via discada tão absurdamente caro, que mesmo o mais cauteloso usuário pagará MAIS para acessar algumas horas o que um sujeiro com ADSL paga no total usando todo o dia a sua conexão a velocidades bem maiores.

Mas VoIP deveria aderir ao resto da população?! Não… e muita gente vai ter problemas porque VoIP deveria ser traduzido como DEMANDA. Se não há demanda de ligações, não há necessidade de VoIP. Não é um serviço como eles apregam que é "pra todos", longe disso, eles querem VENDER pra todos, mas ao passo que VoIP entrar, os telefones fixos começarão a ficar ainda mais caros, pois o grosso que alimenta as operadoras está deixando de existir. Quem pagará isso? Já paga, pelo acesso a Internet, note regiões como o Interior do Rio Grande do Sul, onde você arca com contas telefônicas mensais de 110~150 reais MÍNIMA, apenas pelo acesso a Internet ADSL de menos de MEIO MBPS e a injusta taxa básica (não usada, a linha é paga da mesma forma!). Ou seja, a tecnologia beneficiou quem USA o serviço e penalizou aquela grande fatia que já economizava para evitar surpresas na conta devido a sua fragilidade financeira.

Por que se por um lado VoIP baixará o preço das ligações para empresas, por outro tornará o acesso de forma geral mais caro. E quem não a usa, pagará alto pelo acesso, a ponto de tornar novamente o Telefone + Internet um artigo de luxo.

E, embora óbvio assim, já há gente nos perguntando o que achamos a respeito da VoIP, e é por isto que estou escrevendo a respeito dela. Bom, VoIP é um avanço, especialmente em se tratando de interurbanos, reduz custos que estão em ascendência para tornar os métodos tradicionais NADA atrativos. Se sua empresa realmente USA telefone, especialmente para telemarketing ou liga muito em interurbano, VoIP pode ser vantajoso, mas se sua média mensal ainda é coberta pelaassinatura obrigatória da sua linha, VoIP não é pra você. Por mais propaganda que façam!

Estudo de caso ::

Do mesmo modo que contratar um plano VoIP por causa de um suposto preço menor sem demanda não seria uma escolha de investimento interessante, dá (ou melhor, se DEVERIA) pra repassar essa consciência para outras análises, como neste caso recente.

Ditado a se pensar:

Se a economia é a base da porcaria, o barato sai caro!

Ao visitar um salão de beleza de luxo local, nos deparamos com a ótima escolha de investimento em magnetos feitos em serigrafia pelos proprietários, custando a bagatela de 100 reais para 500 unidades (R$ 0,20 cada) o magneto em formato triangular de fundo chapado com uma cor berrante e letras soltas sem muito tratamento visual pareceu um ótimo negócio quando muito animado quem nos atendeu achou nossa promoção deste mês cara demais (300 magneto laser colorido a 75 reais – 0,25 cada), e reclamando do nosso preço sendo que ele disse que pagou R$ 0,05 (?) cada (nós calculamos os 100 reais para 500, conforme escrito na própria caixa do cliente, a que calculamos 0,20 cada… ¬¬).

Considerações, será que o magneto dele está barato em relação a nossa promoção do mês?

 

Magneto Serigráfico feito com outro:

  • Cores = 2
  • Efeitos e tratamento = sem efeitos
  • Manta Magnética usada = 0,2mm
  • Colagem = Cola normal
  • Mídia = Papel comum fosco 90gr/m²
  • Preço unitário = R$ 0,20 (100/500un)

Magneto Laser RobsonB:

  • Cores = 16,7 MILHÕES (CMYK)
  • Efeitos e tratamento = fotográficos
  • Manta Magnética usada = 0,4mm
  • Colagem = Adesivo dupla-face vinílico
  • Mídia = Papel Couchê Glossy 90gr/m²
  • Preço unitário = R$ 0,25 (75/300un)*

Vale a pena reforçar, mostrando o nosso padrão de arte para impressão laser:

modelo1modelo2

 

Considerando que se trata de um salão DE LUXO, a menos que se use de um "ser rústico" como desculpa, descreio que tenha sido um bom investimento. Mas, nos acontece bastante isso, as pessoas comparam preços de artigos bem distintos como se fossem iguais e por fim acabam optando pelo "mais em conta" que no fim, é encarado como um gasto e não um investimento no negócio. E, ao se depararem com uma amostragem de preço como na tabela acima das figuras, inventam preços descabidos na esperança de se sentirem reconfortadas do gasto MAIOR (em proporção a qualidade perdida). Na nossa computação gráfica, não precisamos de desculpas, acreditamos que todos os clientes estão consciêntes de suas escolhas. Antes do preço, é muito importante para qualquer negócio avaliar duas coisas que como no salão foram deixadas de lado na hora de investir no magneto:

  • Custo/Benefício… menor preço com 10x menos qualidade não faz o Custo/Benefício melhor, ao contrário, eu notei ali que o nosso magneto está BARATO em relação ao concorrente.
  • Entrega e relação de Pós-Venda… em se tratando de um investimento, quais soluções os concorrentes oferecem para controle, qualidade de serviço e melhor qualidade de investimento?!

Vender simplesmente não é um serviço de relação com o cliente. Normalmente nós oferecemos alternativas e opções, tais como:

  • Fazer vários modelos em menores quantidades de cada, com temática de ocasião.
  • Dividir parte do pedido em magneto e outra em cartões.

E assim por diante, isso torna o investimento menor ao cliente, sendo contínuo e consciênte, mas mantendo a máxima qualidade e permitindo além de um controle máximo, a possibilidade de ir investindo a medida que usa do produto, sem estragá-lo ou defasá-lo. Este é o nosso maior benefício, mais além que a qualidade que oferecemos, e é essa filosofia do "devagar e sempre" na compra que insistimos aos clientes.

Enquanto os demais insistem que sua empresa precisa de 1000 cartões e 1000 magnetos HOJE, a bagatela de 300 reais com qualidade duvidosa muitas vezes, nós oferecemos a possibilidade de fazer 50 cartões e 50 magnetos, sendo que do magneto você poderia fazer 25 de cada modelo, para este mês e, quando estiver terminando, bastará pedir mais do que está terminando.

Se o cliente mudou de telefone 2 meses depois ou começou a se usar de um email, como faria com os seus magnetos e cartões feitos em quantidade?! Conosco, o seu investimento se torna sólido, graças a seqüência e facilidade, podendo inserir e retirar dados do nosso produto facilmente de um pedido a outro! É chato pedir todos os meses?! Faça nosso sistema programado, que garantimos a seqüência e preços pelo tempo que quiser, podendo nos avisar com antecedência e pular a entrega de um mês.

Conclusões ::

Investir, é ter demanda, não quantidade. Para crescer, você pode delimitar seu público alvo e investir de acordo, não espere que clientes com maior poder aquisitivo se contentem com produtos de pior qualidade.

Maior poder aquisitivo não significa necessariamente RIQUEZA, como vimos, mas enfoque a qualidade em determinado item. Pessoas ricas podem consumir produtos baratos, bem como pessoas com menor receita mensal podem comprar determinados produtos que queiram maior qualidade. Nós oferecemos ambos, pois você não investe uma quantia grande de dinheiro em um mês, mantém o investimento onde precisar de mais, a medida que precisar, evitando perdas por qualquer possibilidade, incluindo envelhecimento do material. E mais, evita que o produto fique visualmente envelhecido, com algumas alterações simples que permitimos nos pedidos para ter um produto sempre novo a disposição!

Consciência no investimento, qualidade e quantidade sendo controladas e administradas, é isso que nós oferecemos!

Texto publicado nos “Fatos cotidianos” em 06/03/2007.