Eu não quero aumento de salário

 

 

142-dinheiro-001-630x270

 

Você está feliz com o seu aumento de salário? Mas que otário… o título está certo, é forte, não? Mas é verdade, não fiquei feliz e nem quero um aumento fajuto de salário, em que apenas o número muda e no fim se ganha ainda menos que antes. Quer um exemplo de fajutagem? Um aumento legítimo muda a vida de uma pessoa, 62% de aumento como nossos representantes colocaram sobre si mesmos nos já abonados salários é um AUMENTO de salário. quaquer coisa acima de 30% já é considerável, mais de 50% é como um segundo emprego embutido no mesmo, é algo que reflete mudança pra quem recebe.

O aumento de 35 reais no mínimo é fajuto, não gera alegria alguma, pelo contrário, gera preocupação e representa muito a economia de pão e circo que tanto se fala e discute por aí. Não deveria existir esse aumento, afinal, os 35 reais não farão cócegas nos aumentos logo adiante. Só as passagens de ônibus já comerão boa parte desse valor do aumento, sozinho. Empresas como as de Bento, que tem os bolsos abarrotados de grana, com uma frota deficiente (em número e qualidade de serviço), mas que pensam em cobrar um valor de 2,50 pra cima no aumento da passagem. A alegação é clara, tem que cumprir com o aumento de seus funcionários. Se ocorrer um aumento raso, de 30 centavos, uma pessoa que ande de ônibus para o trabalho em 20 dias pagará, no mês um acréscimo de 12 reais. salarios-dos-parlamentaresParece pouco, mas isso é só de AUMENTO, fora o valor atual da passagem. E, no melhor, se você pegar apenas 2 ônibus por dia. Só um aumento raso comeria quase 35% do aumento do mínimo. Isso, claro, SE aumentar apenas 30 centavos. Independente do caso, o aumento do ônibus, necessário para a população, é muito maior que a inflação com qualquer outro item atrelado nela. E em Bento, pela economia das empresas, os motoristas fazem o serviço de trocador – o que significa que em Bento uma empresa de ônibus economiza, por carro, 50% de salários. Insatisfeitos, os horários são ridículos, no melhor momento só aparece um ônibus a cada 30 minutos para fazer uma rota que deve girar os 5kms. O tempo de espera recompensa a empresa, que enche um ônibus e leva vários passageiros de pé. Em horário de pico o amontoamento deve bater fácil umas 6 pessoas por m² de corredor. É lucro puro.

Mas o aumento na passagem não é alegria total pro dono da empresa. Ele tem que pagar o salário maior do funcionário, se atrelado ao valor do mínimo… somado aos encargos, que vão MAIORES pro governo. Opa, então o governo dá com uma mão e tira com a outra? É meu amigo… e todos sabemos quem paga isso… você, eu, qualquer um que use qualquer coisa que tenha impostos embutidos. Não de se estranhar, quando criado o mínimo sustentava uma casa inteira, família com dois filhos, esposa (que não trabalhava fora de casa) e ainda permitia ao homem da casa gerir sua vida com conforto. No papel continua tudo ali, mas não se paga nem um aluguel mais com um salário, quanto mais manter filhos, esposa, você mesmo, alimentação… ele está encolhendo ao ponto de que num futuro não muito longe o mínimo será dobrado para poder se manter. Futuro próximo, pois ter 1½ ou 2 salários já é quase a regra hoje.

Um dono de empresa de ônibus, ainda, certamente terá de arcar com um diesel mais caro, afinal, só há uma empresa no Brasil que massivamente vende combustível, por um valor maior que o praticado em qualquer país vizinho, e que é estatal. Sempre tem alguma crise, algum valor de barril subindo, qualquer coisa pra justificar um inchaço no preço. Isso que somos um país autônomo, e para onde vai essa diferença (pra cima)? Governo mais uma vez.

Percebe? Todo o aumento do salário vai ir, na verdade, pro bolso do governo, que está ficando cada vez mais rico, como um REI, enquanto a população assalariada segue cada vez mais pobre. Para garantir que ninguém escapa dele, casas próprias de planos de governo ficam afastados dos centros, garantindo tráfego de ônibus que interessa ainda mais ao governo. E quem for tentar se livrar do ônibus, pagará em um carro juros abusivos, pela vida, se bobear para um banco estatal, gerando mais riqueza ao governo. E eu nem falei de alimentos ou qualquer outro item, heim!

Então, você quer mesmo um aumento de salário?